33 comentários

  1. Avatar Artur Barcelos
    18/06/2018 @ 11:28

    Prezada Maria,
    Sepé não pode ser considerado brasileiro, pois era um Guarani evangelizado por jesuítas a serviço da Espanha e que viveu e morreu em território colonial espanhol..Tampouco morreu na batalha de Caiboaté. Ele morreu três dias antes em um encontro com soldados de Portugal e Espanha.
    Ela é herói riograndense e está também no Pateon da Pátria em Brasília. Mas é uma homenagem que gaúchos e brasileiros fazem por sua liderança na luta pela terra. Mas todos sabem que Sepé não viveu como habitante da colônia Brasil.

    Reply

    • Avatar Manuel
      18/06/2018 @ 21:19

      Arthur,

      Sepé é mais Brasileiro do que eu e você juntos.

      Reply

      • Avatar Mário
        29/06/2018 @ 22:57

        Manuel, vc está equivocado. A menos que vc não seja mesmo brasileiro.

        Reply

        • Avatar Ariel
          20/09/2018 @ 13:20

          Interessante. Matemática errada. Se Manuel não for brasileiro, e se ele não sendo seu postulado sendo válido, então você também, pelo modo como afirmou, ainda assim teria de ser menos brasileiro do que o indígena em questão.

          Reply

    • Avatar Francisco
      29/08/2018 @ 10:03

      Nem brasileiro nem riograndense, além do que o território era da coroa espanhola. Era NATIVO, INDÍGENA! Os Guaranis estavam muito antes da invenção dos Estados pelos europeus. Não digam bobagem.

      Reply

  2. Avatar Eduardo Bastos
    18/06/2018 @ 16:56

    Olá se permite um comentário, se não me engano Sepé Tiaraju pertencia a redução jesuítica de São Miguel vê não de São Gabriel como está no texto. Acredita-se que ele teria morrido nas proximidades da cidade que hoje é São Gabriel.

    Reply

    • Avatar Lena Aguiar
      24/06/2018 @ 01:15

      Muito bom saber.

      Reply

  3. Avatar Adroaldo Antonio Fidelis
    21/06/2018 @ 06:00

    Arthur gostaria de deixar aqui minha indignação quanto ao seu comentário, mas primeiro gostaria de perguntar qual é sua formação acadêmica? Se for na área de história, que topé nos guie seus educandos, pois dizer que um “INDÍGENA” Guarani não é brasileiro é uma ignorância gigantesca. Nós povos indígenas não impomos fronteiras, somos um povo livre pra voar.

    Reply

    • Avatar Clésio
      26/06/2018 @ 20:21

      Parabéns pela resposta.

      Reply

  4. Avatar Sandro Andrade
    22/06/2018 @ 08:16

    Peço que por favor coloque os créditos do desenho no artigo. Essa ilustração fui eu que fiz e integra o livro “Sepé Tiaraju” da coleção “A luta de cada um” Publicado pela Fundação Callis. Com texto de Luís Rubira e ilustrações de Sandro Andrade. Grato.

    Reply

    • Avatar Redação
      25/06/2018 @ 10:02

      Olá, Sandro! Já acrescentamos os créditos.
      Desculpe-nos por não termos colocado antes, mas, quando encontramos a imagem, não havia citação a você nem ao livro.
      Agradecemos o contato.
      Abraço.

      Reply

    • Avatar Daniel
      20/09/2018 @ 09:44

      Parabéns pela ilustração !

      Reply

  5. Avatar julia marcia rodrigues da cruz
    22/06/2018 @ 16:24

    Ele era mais Brasileiro que qualquer um que vive aqui atualmente,ele morreu defendendo seus ideais e seu povo. Nós só sabemos reclamar e nada fazemos a não ser ficar vendo a banda passar. Tenho orgulho de ser descende do povo guarani por parte de avô.

    Reply

    • Avatar Sandro Andrade
      27/06/2018 @ 11:35

      Olá. Grato pela retificação.

      Reply

  6. Avatar Roosevelt Alexandre
    25/06/2018 @ 23:02

    Tenho receio da frase mas pode se aplicar ao caso. ” A história é contada por quem venceu a guerra e não por quem perdeu”. De fato devemos ter inúmeros e bravos heróis como este, como Zumbi, como algum branco que desertou ao ver as bárbaries das invasões. Muito perdemos de todas as culturas com todas essas invasões, com sorte algum relato foi passado de pai para filhoe virou uma bela história contada. Bom trabalho!

    Reply

  7. O sofrimento das crianças que foram separadas de suas famílias
    28/06/2018 @ 12:24

    […] programa também teve o quadro ‘Você Conhece?’, que contou a história de Sepé Tiaraju, um guerreiro indígena brasileiro declarado “herói guarani missioneiro rio-grandense” por […]

    Reply

  8. Avatar José Wesley
    28/06/2018 @ 12:40

    Herói lutador, infelizmente não herdamos este espírito de batalha!!!

    Reply

  9. Tolerância Zero: O sofrimento dos imigrantes e refugiados
    28/06/2018 @ 13:01

    […] programa também teve o quadro ‘Você Conhece?’, que contou a história de Sepé Tiaraju, um guerreiro indígena brasileiro declarado “herói guarani missioneiro rio-grandense” por […]

    Reply

  10. Avatar Eduardo
    02/07/2018 @ 19:01

    Admiro Sepé Tiaraju, mas o artigo está criticando os assentamentos jesuítas, único projeto de Civilização decente nesse país. Sepé foi grande porque sintetizou as virtudes dos índios e do Cristianismo. Por isso não compartilharei

    Reply

  11. Avatar Neila Allende fos Santos
    07/07/2018 @ 09:19

    Todos os brasileiros deveriam conhecer a História dos Sete Povos das Missões, o modelo de sociedade que se vigorasse e não fosse a ganância dos reinos de Portugal e Espanha seriamos outro continente, outro país. Sepé Tiaraju foi um um grande guerreiro guarani que liderou os índios depois da expulsão dos Jesuítas, ele era de São Migue das Missões, um dis sete povos das reducões jesuiticas(Hoje tombado pelo IPAN, patrimonio da humanidade ), morreu em batalha em São Gabriel na localidade de Caiboaté. Aqui no meu Estado, Rio Grande do Sul e muito referenciado, sendo nome de pessoas, escolas, localidades, entidades e centro de tradições. Quem quiser conhecer mais da história visite São Miguel das Missões, veja o espetáculo som e luz que conta a História missioneira e de Sepé Tiarajú. No nosso estado vigora a frase de Sepé; “ESTÁ TERRA TEM DONO”.

    Reply

  12. Avatar João Nunes
    18/09/2018 @ 01:55

    Em síntese, nosso país não foi descoberto e sim invadido! Aqui viviam vários povos nativos há milhares de anos. Em tempos idos não havia demarcação de fronteiras como ocorre hoje e muito menos a ganância por riquezas; que só ocorreram a partir das grandes navegações.

    Reply

    • Avatar Juba
      10/10/2018 @ 14:15

      E é? Então conte quantos países não foram invadidos nas suas histórias de formação.

      Reply

  13. Avatar Marta
    24/09/2018 @ 19:55

    Olá, Sandro gostei da imagem gostaria de usar em um projeto interdisciplinar pedagógico com sua permissão e claro.

    Reply

  14. Avatar Davidson
    27/09/2018 @ 19:16

    Olá, alguém teria alguma informação sobre a redução que havia no Morro da Formiga na entrada da Laguna dos Patos?

    Reply

  15. Avatar Ukai
    25/11/2018 @ 12:58

    Sepe Tiaraju…no puede ser guaraní..si bien fue preparado por ellos.para la guerra.Sepe significa :sabio en mi lengua charrua…y Tiaraju: que porta la vincha de guerrero.En general nos escondimos entre otros pueblos evangelisados para sobrevivir ya que jamas nos sometimos ni nos cristianisamos….gracias por este aporte donde vamos rearmando la verdadera historia charrua

    Reply

  16. Avatar sebastiao botelho
    08/01/2019 @ 10:28

    as provincias do sul foram anexadas por portugal por de esse periodo ,uma permuta com a guine equatorial que era de portugal ,ao meu entender brasileiros seriam apos esse tratado

    Reply

  17. Avatar Artur H F Barcelos
    08/01/2019 @ 18:07

    Apenas para responder aos que perguntaram sobre minha formação. Sou historiador e arqueólogo, com mestrado e doutorado sobre as missões jesuíticas e livros e artigos publicados em mais de 25 anos de pesquisas. Reafirmo cada palavra do que escrevi acima. Tenho profundo respeito pelo interesse e conhecimento dos leigos. Mas não posso concordar com informações equivocadas. Um forte abraço a todos.

    Reply

  18. Avatar João Carlos Welter
    17/01/2019 @ 08:31

    Os jesuítas, dos quais o atual Papa, Francisco, é o primeiro a chegar ao Papado, eram uma Ordem de padres evoluídos, engenheiros, artistas e construíram uma sociedade mista, como descrito em várias obras como formadores de uma comunidade Comunista/Cristã nos Pampas, dos quais os Sete Povos das Missões faziam Nasci perto de São Miguel das Missões, Caibaté, que fica numa colina…
    Ainda há redutos dos índios Guaranis na região, mantendo duas tradições e sendo até hoje desprezados/e ou ignorados na sua terra natal.Onde foi que erramos?

    Reply

  19. Avatar Medeiros Braga
    31/03/2019 @ 19:14

    Caro Sandro Andrade,

    Sou membro da ABLC, autor de 177 títulos em cordel. Na área indígena já escrevi A Revolta dos Chiapas, Mandu Ladino, que está sendo filmado por Paulo Beti, A Guerra dos Bárbaros, O Cacique Caturité que peitou os bandeirantes, O Massacre de Tracunhaém, entre outros.

    Achei tão fantástica a sua obra de arte e a história desse heroi desconhecido na nossa própria história que me senti instigado a escrever em versos de cordel, usando com a sua permissão essa bela gravura do Sepé Tiaraju. Um abraço e parabéns.

    Reply

  20. Avatar G Alvez
    22/06/2019 @ 00:44

    Porque o artigo diz q os sete povos eram pretendidos por Espanha se na verdade estavam baixo domínio Espanhol é foram entregues nesse momento ao Portugal a câmbio da Colônia do Sacramento

    Reply

  21. Avatar Marcos Luciano falconi
    22/06/2019 @ 21:19

    Zanepytum Amalako ??muito grato aos historiadores e arqueólogos e a todos que lutam defendem protegem e mantém nossa história cultura e tradições parabéns e muito grato por compartilharem para que não nos esqueçamos de quem somos de nossos guerreiros ancestrais para que possamos compreender melhor nossa origem história e destino também as guerras suas causas e efeitos assim como também seus interesses materialistas que causaram tanto sofrimento é que o grande espírito nos dê força e coragem pra continuar assim como compreender nossa descendência e que abençoe e ampare todas as famílias que resistem até hoje pela sobrevivência protegendo com suas vidas nossa selva nossas águas fauna e flora e que possamos ajudar e apreender mais com eles ao invés de escraviza los que possamos ampara los sem influemcia los como fizeram no passado resgatando cada vez mais idiomas w cura para todas a doenças que trazidas pelos invasores e restaurar toda destruição e e sofrimento que causaram por sua ganância egoista restaurar a prosperidade e a paz assim como o respeito devido aos povos ancestrais forte abraço com amor e amizade de índio a tds ikatu aguije vete ?????

    Reply

  22. Avatar Marcelo Fabiano Lara Cardoso
    29/07/2019 @ 18:15

    Poderiam corrigir o título da materia por favor, ou ele foi sugestivamente usado para confundir leigos? Sepé Tiaraju não pode ser um herói brasiBrasilmuito menos argentino, lutou contra Portugal, Espanha e o Tratado de Madri. Se por ventura não houvesse a troca das terras entre Lusos e Castelhanos ele continuaria vivendo nas Reduções Jesuíticas sem problemas com qualquer coroa Lusa ou Castelhana. Mais um herói adotado furtivamente, Sepé e Poti tem uma grande diferença para intitular o guarani herói do Brasil. Alguém lembra que ano foi proclamada a independência da colônia portuguesa que se tornou o Império do Brasil? Herói brasileiro, kkk!

    Reply

  23. As raízes históricas do preconceito contra os indígenas brasileiros
    12/09/2019 @ 12:00

    […] programa também teve o quadro ‘Você Conhece?’, que contou a história de Sepé Tiaraju, guerreiro indígena brasileiro, que ocupou o cargo de chefe indígena dos Sete Povos das Missões […]

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *