58 Comments

  1. Avatar Ester Xavier
    07/02/2019 @ 12:06

    Alarmante. Profunda tristeza nestas constatações!

    Reply

    • Avatar Clotilde da Silva Della Nina
      16/04/2019 @ 10:51

      Uma campanha conscientizar para acolhimento dessas crianças, incluindo parentes, amigos e vizinhos, deveria ser mostrada por todos os veículos de comunicação… Essa estória vem de longe. Tenho 72 anos e tive uma amiga na minha infância que era abusada por um tio.

      Reply

      • Avatar Maria de Fatima de Paula
        12/01/2020 @ 12:14

        Tenho 60 fui abusada na minha infância por um monsenhor amigo da família que me adotou… eu era obrigada a me encontrar com ele pela minha irmã mais velha… era nogento!!!… ainda sofro com estas lembranças… cuidem das nossas crianças… as livrem desses demônios!!!

        Reply

  2. Avatar Elza Castro
    07/02/2019 @ 18:40

    É necessário monitoramento de ONGs no Brasil sim porque há muita fraude. Há ONGs que captam recursos mostram seu trabalho só para angariar ,depois deixam de dar continuidade ao trabalho com critérios. Infelizmente.

    Reply

    • Avatar Dani
      13/01/2020 @ 18:34

      Fico espantada quando leio que as mulheres tem que fechar as pernas, como sempre mulher querendo colocar culpa em mulher e nunca no próprio abusador homem. Pessoas assim esquecem que existem, pais, professores, técnicos, padrastos, líderes religiosos usando esses disfarces para abusar de criança e adolescentes.
      Fui abusada na infância e adolescência pelo meu padrasto e era tão ameaçada que só contei pra minha mãe há pouco tempo com quase 40 anos depois que ela separou dele, fiz a denúncia e estou aguardando….
      E quero falar com vocês que como eu, muitas crianças nunca irão contar, nem sobre tortura, eu era chamada muitas vezes na secretaria da escola por grandes especialistas por ter um comportamento muito estranho de não querer me relacionar com ninguém.
      Então quem fala que na minha casa isso jamais vai acontecer por causa de educação que é dada x ou y, repensem, pois seus filhos podem esconder coisas que você nunca irá saber por medo ou por muito amor a mãe ou pai.
      Hoje para lidar com tanta dor, trabalho atendendo algumas vítimas, é assim, sem elas saberem me procuram, semelhante atrai semelhante, somos vítimas de outras vítimas.
      E antes que julguem roupas e sexualidade de muitas meninas, lembrem que na infância não dá nem pra usar uma lingerie ou outra coisa “sensual” para atrair abusadores, então mais amor por nós, pelos nossos pais e mães que pensou um dia que estava nos protegendo. Podemos fazer tudo e ainda viver uma situação semelhante.
      É lógico que pais e mães devem estar atentos, principalmente comunicar mais amor de várias formas para estabelecer mais confiança de forma respeitosa.
      .

      Reply

  3. Avatar Ely Regina Guedex
    07/02/2019 @ 20:05

    Como é triste saber que nossas crianças não são respeitadas e têm sua infância ceifadas pelo medo daqueles que deviam protegê-las. Devemos estar atentos e a qq desconfiança denunciar.

    Reply

    • Avatar Rosemary
      26/06/2019 @ 20:45

      Discurso anti ONG são alimentados pelo atual governo pois elas não são todas iguais mas as que não foram inguis ( de um dono) fiscalizam e denunciam ao mundo o desmonte das políticas públicas de proteção e do respeito aos direitos humanos, ao invés de inibir as falsas organizações Bolsonaro tenta desmoralizar

      Reply

  4. Avatar marcelo
    07/02/2019 @ 23:05

    e nada sobre o perfil DOS AGRESSORES? parentesco, e de qual lado (materno / paerno)?

    Reply

    • Avatar Daniela
      27/05/2019 @ 20:15

      Exatamente.
      Fala-se muito do perfil das vítimas, mas escondem o perfil dos abusadores: pais, avôs, primos, padrastos e mulheres TAMBÉM.

      Reply

      • Avatar Cléber
        05/06/2019 @ 16:40

        Já se sabe que estão dentro de casa. Então, já podemos ficar de olhos bem abertos.

        Reply

        • Avatar Francisca Forte
          15/01/2020 @ 01:37

          Até quando vão ficar publicando dados? Sei que é importante,mas temos que agir com mais rapidez…talvez neste momento enquanto escrevo, crianças e adolescentes estejam sofrendo abuso em um canto deste país…É preciso orientação nos postos de saúde,nas escolas,6
          conversas..especialistas dialogando com professores e alunos…Estamos fechando os olhos eximindo a escola porque é lá que percebemos quando algo está errado com nosso aluno..Enquanto a sociedade não cobrar do poder público políticas mais atuantes e eficientes,vamos continuar lendo dados…sem realmente combater e punir severamente os torturadores.

          Reply

  5. Avatar Vanuza Silva Soares
    09/02/2019 @ 11:54

    O Brasil precisa ter uma lei mais rígida para esses tipos de montros

    Reply

  6. Avatar Dulce F. Barata
    09/02/2019 @ 12:43

    Que vergonha! Que aberração! Garanto que nenhuma criança pertence aos políticos, né! Aí a coisa muda de figura!!!

    Reply

  7. Avatar Fernanda Araújo
    10/02/2019 @ 08:17

    Porque não fala sobre o perfil dos abusadores ??

    Reply

    • Avatar Luciano Silva
      17/04/2019 @ 16:40

      Porque querem que pensem que somente homem abusa, apesar de serem maioria esmagadora.

      Reply

      • Avatar Luzia
        30/05/2019 @ 04:00

        Isso mesmo, que as vezes são da própria família.

        Reply

    • Avatar R-EAP
      13/01/2020 @ 20:45

      O PERFIL DOS ABUSADORES SEXUAIS DE CRIANCAS

      Fernanda, veja sobre o perfil dos agressores que eu ja’ divulgava ha’ mais de 15 anos no website R-EAP (www.r-eap.org) e que as denuncias no Brasil tem confirmado ao longo dos anos. Infelizmente os casos de INCESTO, que caracterizam a maior parte dos abusos, as denuncias tem esbarrado na LEI DE ALIENACAO PARENTAL, que nossos legisladores resistem em abolir.
      O problema e’ que, quando as maes denunciam abusos no meio familiar, os abusadores recorrem as varas de familia, alegando que estao sendo ALIENADOS e os juizes infelizmente entregam a guarda das vitimas aos ABUSADORES.
      Imagine o numero de doentes mentais que ira’ resultar desta geracao de criancas que tem sido VITIMAS e que vem sendo negligenciada pelas proprias autoridades! Por favor ajude a divulgar isso e exigir que as criancas sejam protegidas. Abs, Elisabeth

      Reply

  8. Avatar Cristina Benites Lins Figueira
    10/02/2019 @ 10:41

    Por mim o Brasil tinha que ter pena de morte para estuprador.

    Reply

  9. Avatar Marilena
    10/02/2019 @ 16:41

    Boa tarde! Só soube que minhas filhas foram assediadas sexualmente pelo agora ex-companheiro. Elas nunca falaram , se tornaram rebeldes e ele só atiçava esse mal estar entre a gente. Tenho um filho com meu ele e foi muito dolorido saber agora depois de muitos anos. Elas nunca falaram por amor a mim e a ele. Conforme relato a mais ou menos um mês da minha filha do meio, agora com 29 anos que está fazendo terapia e incentivada por sua psicóloga para que possa ter uma vida normal, visto que isso a afetou profundamente. E eu que sempre achei que as protegi, estou agora aqui estática diante destas revelações.

    Reply

  10. Avatar Vio
    11/02/2019 @ 16:47

    Quando uma criança se torna “rebelde” de um dia para o outro, os pais deveriam antes de repreender, brigar ou até bater, tentar entender o porque do comportamento. Crianças não ficam “rebeldes”, “ariscas” a toa. Geralmente existe algum grande incomodo, geralmente sofreram algum tipo de violência: abuso sexual, abuso físico ou psicológico. Conversar com os filhos, se mostrar aberto, repetir inúmeras vezes que o que quer que tenha acontecido, vai ficar bem, é a única forma de se proteger os filhos. Crianças tem medo de contar, porque acham que não serão ouvidas ou que irão ser repreendidas por algo que não tem culpa.

    Reply

  11. Avatar Engracia Castro Ferreira
    14/02/2019 @ 21:29

    Infelizmente essas crianças sofrem dentro do espaço que seria o da proteção, cuidado e carinho. As leis precisam ser modificadas, às vezes a própria mãe é conivente mas por falta de amor próprio, respeito e valorização acaba Omitindo essa violência e essa violação de direitos humanos precisa ser alterada para que de fato essa mulher cúmplice também pague na justiça os danos causados que certamente serão pro resto da vida.

    Reply

  12. Avatar Yara lucia Mendes
    15/02/2019 @ 11:31

    Vamos tocando na mesma tecla… As leis continuam brandas demais para esses Crápulas ,que continuam agindo livremente

    Reply

    • Avatar Adriana
      14/01/2020 @ 01:07

      Chega de falação ajam pelo amor!! Pedofilos deveriam ser queimados vivos em praca publica chocou!! E eles fazem o que? Chocam matam essas crianças em vida e ninguém faz nada So estatísticas e mais nada pq n estão na peles desses bebês inocentes eles n tem voz direitos humanos mudem suas mentes onde vcs vivem ? Vcs acham mesmo q pedofilos deveriam ser tratados com o gente? Esse mundo e muito loco aqui tudo e errado ! Defendem o q n tem defesa e um cansaço todo dia parecem q estão cegos!!

      Reply

  13. Avatar Rodrigues Schneider
    18/02/2019 @ 18:57

    Os dados sobre violência sexual contra crianças e adolescentes são alarmantes, porém, a realidade é bem maior do que as estatísticas, do que as notificações chegadas as autoridades ou as substantificações da violência.

    A forma de tratar essa violência precisa ser pensada por uma outra perspectiva, lógica e olhar – o da dimensão familiar. A esmagadora maioria dos casos de abusos são praticados no ambiente familiar (por pais, padrastos, irmão ou outros parentes próximos), ou, em outros contextos, onde o agressor faz parte e tem acesso ao círculo familiar, ou dele mantem-se sobre outras formas relações sociais, como é o caso das instituições – igrejas, escolas, etc.

    Discutir essa perspectiva ainda é um “tabu”, pois lida diretamente com questões morais e afetivas, onde os valores familiares são colocados em “cheque”, onde problematizar o modus operandis é colocar a tona toda uma estrutura de silenciamento que opera pelo grau de intimidade e afetividade com as vítimas.

    Reply

  14. 51% das crianças abusadas sexualmente no Brasil têm de 1 a 5 anos – Ficar de bem
    22/02/2019 @ 15:24

    […] Entre 2011 e 2017, foram notificados 184.524 casos de violência sexual contra crianças e adolescentes no Brasil. Os dados são de um Boletim Epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde em junho do ano passado. Muitas crianças e adolescentes não conseguem falar o que estão sofrendo, os fatores são diversos e é importante que os adultos as ajudem. Existem canais de denúncias, e o disque 100 é um deles, gratuito e sigiloso. Saiba mais. […]

    Reply

  15. Avatar Eraldo Ravasco M. Maia
    16/04/2019 @ 10:54

    Diante de tal quadro, a reação de muitos é clamar por mais e mais violência contra os autores dessas agressões. Mas não será a violência a força de transformação do mundo. Estupradores são pessoas enfermas. Não deixam de ser pessoas por estarem enfermos. Devem ser afastados do convívio social, mas olhados como pessoas enfermas, não com ódio, com ira, com sentimentos de vingança. Ou se crê num Deus que é Amor ou não se crê! O Amor verdadeiro é que transformará o desequilíbrio em equilíbrio, a doença em sanidade, a aflição em harmonia, a prisão em liberdade.

    Reply

    • Avatar Paulino dos Santos
      01/06/2019 @ 13:38

      Sou psicólogo e quero parabenizar-lhe pelo sábio comentário… Você está certíssimo! Haja vista que a ocorrência maior se dá em casa e na escola revelando que estas pessoas que cometem o crime são tidas como “normais” no convívio social. Elas são realmente doentes e, embora os primeiros sentimentos em nós seja de espanto, horror e tristeza, o que vem logo em seguida são sentimentos de indignação e raiva que levam às pessoas comuns ao desespero e a
      ação desenfreada de querer fazer “justiça com as próprias mãos”; normalmente querendo matar o estuprador como se isso servisse de exemplo e diminuísse as agressões. Pra isso é que existe a Lei orquestrada por juízes imparciais, psicólogos e psiquiatras que entendem e analisam caso a caso. O certo é que o agressor deve ser tirado imediatamente do convívio social, mas nunca executado.

      Reply

      • Avatar Rosemary
        26/06/2019 @ 20:49

        De acordo, tb penso assim

        Reply

        • Avatar Monica
          13/12/2019 @ 11:42

          Somente com o relado da criança não acontece nada com o abusador, só exposição da criança e dos pais, para tirar o abusador do convívio social precisa ser muito grave o abuso, para colher provas. Tem família que conhece o abusadore do teu filho, mas sabem que não acontecerá nada com eles mesmo diante de uma denúncia, só a palavra da criança não basta, é um processo muito longo e doloroso para uma criança.

          Reply

  16. Brasil: 69,2% dos abusos sexuais contra criança ocorrem na própria casa
    16/04/2019 @ 11:46

    […] sexual mostrou que 43.034 (74,2%) eram do sexo feminino e 14.996 (25,8%) eram do sexo masculino. Do total, 51,2% estavam na faixa etária entre 1 e 5 anos. Isso significa que mais da metade das crianças que são abusadas sexualmente no Brasil não tem […]

    Reply

  17. Avatar Jussara Aparecida da Silva
    17/04/2019 @ 05:37

    Eu particularmente acho que a maior culpada desses abusos são as proprias mães, muitas percebem,desconfiam mais fazem vistas grossas talves por medo ou amor ao seu companheiro o que não justifica.
    Muitas dessas mulheres que não conseguem manter as pernas fechadas ao primeiro encontro que tem já leva o sujeito para dentro de casa sem se importar com o caráter do indivíduo, outras porque não são chegadas ao trabalho é ter por perto alguém que a sustente junto com os filhos e o que importa.
    Outras não querem se dar ao trabalho de educar seus filhos preferem que as ruas o façam ou quem sabe aquele vizinho que dá doces e gosta de crianças ,o famoso “tio”.
    Sou da moda antiga,meus filhos,minhas regras,quem educa e ensina sou eu.
    Temos obrigação de perceber e permitir quem pode e não pode ter um contato mais carinhoso com nossos filhos,pode ser um parente,um amigo ou vizinho mais temos que ficar sempre alerta.
    Os pais educam,dão limites,ensinam o que e certo ou errado,a escola por sua vez tem a função de ensinar a ler e escrever somente isto ao meu ver.

    Reply

    • Avatar Ageu Lisboa
      24/06/2019 @ 23:08

      Muito bom seu comentário. Gostei do “meus filhos, minhas regras”.

      Reply

    • Avatar Adriana
      06/12/2019 @ 08:30

      Jussara, infelizmente as coisas não são tão simples. Essa repostagem esconde o perfil dos abusadores. Se você fizer uma rápida pesquisa na internet, encontrará um estudo sério feito pela USP que divulga que a maior parte dos abusos são feitos pelos próprios pais, seguido de padrastos e outros parentes como tios ou então amigos da família. Nao podemos julgar as mães dessa forma, pois o ditado “minha casa ou minha familia, minhas regras” leva a dor quando o pai é o abusador. Sou professora em áreas onde o abuso ou a suspeita dele é grande, e muitas vezes as mães não suspeitam,porque isso ocorre enquanto estão trabalhando ou na igreja. A realidade é bem complexa, triste e em números maiores do que vemos nas reportagens

      Reply

  18. Avatar Daniela
    27/05/2019 @ 20:26

    E daí, quando você denuncia, uma outra guerra começa.
    A mãe é acusada de praticar Alienação Parental, a criança é passada por CINCO, SEIS peritos DIFERENTES, sendo obrigada a contar para esyranhos sua dolorosa intimidade, sentindo vergonha ou não, os adultos não acreditam nela, pois afinal o abusador é ” homem de bem”, a criança é obrigada a reviver a dor durante ANOS enquanto dura o processo e ainda risca de ser arrancada da mãe e entregue aos braços do abusador, porque a mãe precisa provar que a criança não está mentindo.
    Isso quando JUIZES não são CÚMPLICES de abusadores e dão ganho de causa para o abusador porque ” a vitima não se debateu O SUFICIENTE para caracterizar estupro”!!!!!!!
    DISSO ninguém fala, Né?
    Do quanto as VITIMAS são torturadas pelo sistema, NINGUÉM FALA.
    NÃO BASTA SER ABUSADA. TEM QUE SER DESACREDITADA E TORTURADA ANOS A FIO, TENTANDO PROVAR O QUE ACONTECEU, PARA NÃO TER QUE SER ENTREGUE AO SEU ABUSADOR.

    Reply

    • Avatar Ya
      09/10/2019 @ 13:30

      Daniela, estou passando pela mesma situação que você passou. Será que podemos nos falar em segredo. Como faço para falar com você????

      Reply

    • Avatar Adriana
      06/12/2019 @ 08:38

      Exatamente Daniela. Este ano tivemos uma aluna onde trabalho que disse ser abusada para uma colega da escola pelo proprio pai há 5 anos,toda segunda-feira quando a mãe ia a igreja. Contou porque achava que estava gravida. A colega contou a professora, que contou ao diretor, que contou a mãe. A mesma foi automaticamente a delagacia e expulsou o pai de casa, teve medda potetiva de 3 dias em abrigo com os filhos adolescentes. Uma semana depois o abusador esfaqueou e tacou fogo na mãe. Mas por descuido ele pegou fogo junto, senão teria pegado a menina na escola e mais tragédias aconteceriam. Nós sempre orientamos a denúncia, mas qual é a proteção oferecida os que são abusados e a sua família?

      Reply

  19. Avatar LIZETE MARIA DE MATOS DE FIGUEIREDO
    28/05/2019 @ 00:21

    É dolorido, é complexo, é devastador! O poder gasta bilhões com coisas supérfluas e está deixando a humanidade virar monstros. A humanidade está sendo contaminada. Ñ esperem mais um extra terrestre trazer uma praga ou algo assim, porque ela ja está lançada, uma praga silenciosa, que fez da criança violentada de ontem um possível violentador de hoje. A humanidade precisa de Deus e de homens de boa vontade! Campanhas corajosas e honestas que visem todos os aspectos desta violência que na maioria das vezes começa em casa. O AMOR DE MUITOS ESTÁ SE ESFRIANDO! Está chegando o dia de pai e mãe ñ confiarem mais um no outro. Triste!

    Reply

  20. Avatar Maria Madalena Ramos de Aquino da.
    01/06/2019 @ 23:31

    Os profs deveriam prestar mais atenção nos seus alunos. Qualquer alterações no comportamento e desempenho da criança é sinal de alerta , observar e comunicar imediatamente para a direção e conselho tutelar da criança. Mudança de comportamento, agressiva ,apática com hematomas a. A criança já está sendo agredida.

    Reply

  21. Avatar NADIA YAMMINE
    03/06/2019 @ 12:55

    ISTO VAI MUDAR NO BRASIL…

    Reply

  22. Avatar NADIA YAMMINE
    03/06/2019 @ 12:57

    ESTE ABSURDO VAI ACABAR AQUI NO BRASIL…

    Reply

  23. Curta-metragem alerta contra exploração sexual infantil
    04/06/2019 @ 12:03

    […] contra adolescentes, concentrando 76,5% dos casos notificados nesses dois cursos de vida. Os dados são de um Boletim Epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde em junho do ano […]

    Reply

    • Avatar Joice
      07/12/2019 @ 20:02

      E a cada dia aumenta mais, as mulheres não se preocupam com a prevenção para não engravidar e depois deixam os filhos ao deus dará a mercê de todo tipo de violência. Fico revoltada quando vejo meninas que nem cuidam delas próprias parindo como se os filhos fossem apenas bonecos para expor nas redes sociais. Deveria começar por um controle efetivo da natalidade e penas pesadas para os abusadores e os pais que deixam os filhos em situações de vulnerabilidade.

      Reply

  24. Avatar Juliana Benda
    05/06/2019 @ 15:39

    Fui vítima dos 3 aos 6 anos pelo meu pai. Nunca consegui ter relacionamentos “saudáveis” com parceiros e com 38 anos me lembrei de tudo, e pude me entender melhor.
    Muito difícil digerir isso tudo.

    Reply

  25. Avatar Juliana Benda
    05/06/2019 @ 15:43

    Foi o que aconteceu comigo. Era abusada fiquei rebelde e apanhei muito por isso.

    Reply

  26. Avatar Roseli Eickhoff
    20/06/2019 @ 17:52

    A criança dá sinais de que alguma coisa errada aconteceu ??? Divulguem, por favor

    Reply

  27. Avatar Joana Angelina
    25/06/2019 @ 07:58

    Denunciar só pra constar no relatório né?
    Mesmo com laudo médico a justiça absorve pelo fato de quem denunciou ser pessoa esclarecida, E quem deveria proteger cuidar além de permissiva participativa porém …”coitadinha”.Daí a criança teve sua infância torturada e lhe é negado o direito de ser FELIZ de andar com tranquilidade pois o medo de encontrar nas ruas lhe apavora…. hoje ela diz: A justiça não foi boa comigo, Eu não falei o nome dele porque tive medo. Não gosto de sair de casa de ir ao shopping pois posso encontrar com ELE. Justiça cega por opção. Comodismo. Não quer investigar pra entender a dinâmica do processo. Nem toda mulher que pari tem dom de ser mãe.

    Reply

  28. Avatar Shirley Justino
    27/06/2019 @ 12:08

    Infelizmente fui uma vítima entre tantas outras vítimas. Em meu caso aconteceu dentro da minha residência, por um famíliar. Sofri estes abusos sexuais com torturas … dos 7 aos 9 anos. Para quem passou ou está passando por este momento de profunda dor, sabe que não existem palavras para definir tamanho sofrimentos, humilhações, incapacidade … etc. Também é necessário avisar e denúnciar, a maioria dessas violências sexuais ” Estupros” existem pessoas coniventes, omissas que sabem que uma criança ou adolescente está sofrendo estes tipos de abusos e se mantem calados, seja por medo do agressor ou por esta sendo beneficiados. Parece até loucura, mas existem pessoas sendo beneficiadas através destes crimes contra criança, adolescentes … etc. Quando li está matéria, me veio a mente tudo que passei, posso afirmar que hoje sou um milagre, pois o agressor tentou me matar por 3 vezes, sendo que na última tentativa de homicídio, ele me deixou em coma e após sair do coma, fiquei 17 dias com aminesias, sem mesmo saber quem eu era. Queridos e queridas, vcs não estão sozinhos, não se calem ou sintam medo de denúnciar este agressor, seja lá quem for está pessoa. Você que está passando ou já passou por este tipo de abusos, lembre-se você não tem nenhuma culpa, nunca se sintam culpados do que vocês estão passando ou já passaram. Não percam mas tempo, denuciem agora este ou estes estupradores… etc. Avisem as autoridades e a polícia pelos números 197, 190, 193 … etc. Não deixe para manhã, peça ajuda hoje mesmo. Gostaria muito de continuar falando com vcs, caso queiram falar comigo, estarei aqui para ajuda-los no que for preciso. Shirley Justino.

    Reply

  29. Avatar Caio
    01/07/2019 @ 07:01

    Fala-se muito do diagnóstico e pouco ou nada sobre prevenção.

    Reply

  30. Brasil é um dos países com maior risco de violência contra crianças
    01/07/2019 @ 12:09

    […] Um Boletim Epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde em junho do ano passado revela que 69,2% dos casos de violência sexual contra crianças ocorrem dentro de casa. […]

    Reply

  31. Avatar Cida
    02/07/2019 @ 17:07

    Em meu TCC pude comprovar de jan a abr/ 19 , 350 criancas ja foram abusadas na zona sul de SP, parece que essa crueldade faz parte da vida, sqn isso tem q te um maior enfrentamento, fazem campanhas pra tdo menos por nossas criancas

    Reply

  32. Avatar Lucinha
    05/07/2019 @ 14:55

    E quantos desses abusadores não estão
    apenas replicando aquilo que viveram na infância, e ao invés de protegerem os pequeninos, causam um mal ainda maior do que viveram… Lamentável!

    Reply

  33. Jout Jout faz vídeo sobre violência sexual contra crianças e adolescentes
    01/08/2019 @ 16:59

    […] divulgado pelo Ministério da Saúde em junho do ano passado, entre 2011 e 2017, foram notificados 184.524 casos de violência sexual no Brasil, sendo 58.037 (31,5%) contra crianças e 83.068 (45,0%) contra adolescentes. Isso significa que […]

    Reply

  34. Os “traumas de infância” e a influência na vida adulta - RC Reborn
    30/10/2019 @ 11:24

    […] experiências que não são reais. Além disso, é comum que o abuso ocorra no próprio seio residencial, feito por uma figura de confiança. Dessa forma, busque dar atenção ao que sua […]

    Reply

  35. Avatar Gilzane Iansen
    02/12/2019 @ 16:50

    Dados alarmantes e extremamente tristes. Fiquei assustada também com as estatísticas de abusos e estupros dentro de escolas!!! Escolas, meu Deus!! As mães acham que estão deixando seus filhos em segurança nas escolas, local que deveria ter vigilância e cuidados rígidos… Estou abismada!
    E, pior, com a mudança da lei, nós, mães e pais, somos OBRIGADOS a mandar nossas crianças pequenas e indefesas de APENAS 4 ANINHOS para a escola! E se os pais não tem condições de pagar por uma pré-escola particular onde a turma das crianças de 4 e 5 anos tem uma professora auxiliar que acompanha e leva às crianças ao banheiro, elas tem que ir sozinhas, muitas vezes atravessando pátios grandes com outros estudantes até mesmo adolescentes até chegarem ao banheiro, e isso tudo, SOZINHAS!!! Isso mesmo, sozinhas, porque é uma única professora para cuidar de 30/35 crianças e não pode largar os demais sozinhos para levar cada um que precisa ao banheiro!
    É um absurdo!!!!!!
    E mais… Homeschooling tbm não pode no Brasil! Pais que querem proteger e cuidar de suas crianças ensinando-as em casa até que fiquem maiorzinhas e possam se defender, estarão fora da lei!!!!
    Brasil, só Deus para ter misericórdia de nossas crianças!!!! ??????

    Reply

  36. Avatar wal cruz
    04/12/2019 @ 11:53

    Indignante seu parecer.A sra Michele e’ a primeira esposa de um Presidente tendo a pele exfoliada junto com a Mui Digna Ministra Damares para socorrer o que jamais importou aos antecedentes governos do capeta.Perdeste a oportunidade de ficar calada.
    Oh,Pai livra-nos dos equivocados e da lingua ferina de seres que nao fazem nada de bom e ainda criticam o atual governo que o Senhor entronizou.Amem!

    Reply

  37. Avatar Rogers
    04/12/2019 @ 23:07

    Deveriam ter um disk denúncia sigiloso em que a criança e a mãe ou pai tivesse o sigilo mantido, e sob investigação, o agressor fosse monitorado e preso, para que assim evitasse outros danos, as leis não devem ser também frouxas , o safado(a) deve pensar 02 x em tentar fazer algo contra uma criança, sob pena de punições severas!! CHEGA… nosso país está mudando!!

    Reply

  38. Avatar Max
    10/12/2019 @ 19:56

    Os valores da sociedade brasileira são tão obscuros e tão sinistros!

    Reply

  39. Avatar Maria Helena F Maia Araujo
    12/01/2020 @ 18:52

    Pq vcs colocam a porcentagem da cor negra e não colocam da cor branca? Os 45% da cor negra pressupõe que as outras cores são maioria. Achei essa colocação preconceituosa

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *