Desamparados: casos de Covid-19 em indígenas crescem 733%

Compartilhar

Em 13 de abril, a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) havia confirmado nove casos de indígenas com Covid-19. Agora já são 75 casos. Número triplica a cada cinco dias

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O número de indígenas diagnosticados com Covid-19 no Brasil triplica a cada cinco dias. Em 13 de abril, a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) havia confirmado nove casos de indígenas contaminados pelo novo coronavírus. Em 18 de abril, já eram 26 casos. Agora já são 75. Isso significa que desde o dia 13 o número de casos cresceu 733,3%.

Um almoço de confraternização na casa de um indígena infectado pelo novo coronavírus levou à contaminação  de outros 31 da etnia Kokama, moradores da Aldeia São  José, em Santo Antônio do Içá, interior do Amazonas,  localizada na região do Alto Solimões. Segundo o secretário de saúde de Santo Antônio do Içá,  Francisco Ferreira Azevedo, foram coletadas 64 novas amostras da população, dos quais 43 deram positivos, 31 delas entre indígenas.

Na cidade de São Paulo também foi confirmado o primeiro caso de infecção pelo novo coronavírus na Terra Indígena (TI) Jaraguá, na zona norte de São Paulo.

Indígenas e não indígenas estão imunologicamente suscetíveis a vírus que nunca circularam antes, como é o caso do novo coronavírus causador da Covid-19. Estudos em várias partes do mundo e no Brasil atestam, no entanto, que os indígenas são mais vulneráveis a epidemias em função de condições sociais, econômicas e de saúde piores do que as dos não indígenas, o que amplifica o potencial de disseminação de doenças.

Fonte: O Globo


Compartilhar