24 Comments

  1. Avatar Carlos Machado
    30/04/2018 @ 09:39

    Parabéns pela matéria Observatório 3º Setor!
    Tenho aqui algumas observações, primeiro o uso da palavra escravo. Estamos num período da história que não convêm chamar trabalhadores forçados de origem africana de “escravos”. Temos outras formas pensando na promoção dos direitos humanos como seres humanos que foram escravizados e prisioneiro de guerra.
    Segunda observação, Phil Epps deveria localizar a família desse inventor e oferecer reparações sobre um invento fundamental para a marca Jack Daniels que lhe rende centenas de milhões de dólares anualmente. É importante saber da história mas deixar como está só reforça o legado da escravidão com sua opressão e privilégio conferido aos brancos no continente americano desde essa época.

    Reply

    • Avatar Bruno
      05/02/2020 @ 23:33

      Excelentes observações.

      Reply

    • Avatar Ivã santos dias
      14/02/2020 @ 14:26

      Essa história ficar más que honrosa para nós negros em todo mundo sou negro sem preconceitos.

      Reply

  2. Avatar Eliete
    07/05/2018 @ 13:41

    Muito boa observação Carlos.

    Reply

    • Avatar gisele magalhaes
      16/10/2019 @ 18:27

      Concordo com isso e espero que há tenha sido feito.

      Reply

  3. Avatar Adailton santos
    12/05/2018 @ 10:48

    Faço minhas suas palavras nobre Carlos.
    Assino, carimbo e dou fé!

    Reply

  4. Avatar Marcio Carneiro
    13/05/2018 @ 10:22

    Fez suas as minhas palavras Carlos

    Reply

  5. Avatar ROGILDO Gomes
    15/10/2019 @ 01:21

    Os negros tem muitas contribuições pra o mundo chegar onde chegou,mas pouco reconhecimento,ou quase nenhum.

    Reply

  6. Avatar Rose santana
    08/12/2019 @ 10:38

    Acho complicado falar em reparação se o negro justamente foi escravizado pela ganancia branca, reparação implica em tocar no dinheiro do branco, mas normalmente o dinheiro é o Deus deles intocavel. So se esquecem de uma coisa Deus é terrivelmente justo. Numca, numcaaa havera paz em cima do sofrimento alheio, eu creio.

    Reply

  7. Avatar Carlos Ernesto
    05/02/2020 @ 20:02

    Não há como esconder o passado…

    Reply

  8. Avatar Luciana
    07/02/2020 @ 07:17

    Concordo com as palavras de Carlos.

    Reply

  9. Avatar Dina Gutierrez
    07/02/2020 @ 16:27

    Sua explanação foi objetiva, e correta. Pois cadê a reparação para esses familiares.

    Reply

  10. Avatar Noêmia Lucia França
    07/02/2020 @ 16:41

    Também assino embaixo de tudo o que foi dito e escrito pelo Carlos

    Reply

  11. Avatar Leandro
    07/02/2020 @ 16:47

    Prezados:

    A família do Nearest Green abriu a própria destilaria no Tenesse e resgata a história do inventor do bourbon. A bebida já é premiada e bem vendida lá fora apesar da pouca divulgação.
    https://unclenearest.com/

    Reply

  12. Avatar Gean Charles
    08/02/2020 @ 08:42

    É incrível como tem tanta gente que se deu bem as custas do trabalho de outras pessoas. Independentemente da raça, sexo e religião. Porém, devo salientar que a era da escravidão e das guerras mundiais foram os piores capítulos que existiu na humanidade até hoje, (Humanidade, que de humano não tem é nada). E o pior, isso ainda acontece hoje em dia, ricos, geralmente brancos, que preferem e pretendem ainda ter trabalhadores escravos ou escravizados, pagando mal, retirando direitos, xingando e etc.

    Reply

  13. Avatar Paulo Silva
    08/02/2020 @ 08:43

    Se a história é verdadeira, por que não procurar os descendentes do Green e dar sua parte por direito.
    Empresa milhonaria, se o Green criou nada mais justo que sua família usufruir de seus frutos também !

    Reply

  14. Avatar Reinaldo Martins
    08/02/2020 @ 13:10

    Discordo de não usar a palavra escravo. Parece a patrulha do politicamente correto….
    A escravidão foi abolida em 1863, 13 anos antes da marca. Por tanto, já era um homem livre.
    Há alguns pontos discrepantes nessa história.

    Reply

  15. Avatar Maria Lidia Lopes dos Santos
    08/02/2020 @ 14:32

    Nao Acho que se deva mudar vocábulo, escravizar é muito mais do que trabalho forçado. Acho é a mesma questão da lepra e hanseníase mas mudar vocábulo não ameniza os efeitos e consequências.
    Que me desculpe os estudiosos. Apenas opinião.

    Reply

    • Avatar Alexandre Fereira
      12/02/2020 @ 15:37

      Negro… Branco…o negócio sempre foi ser mais esperto. Coitado dos McDonald’s.

      Reply

  16. Avatar Guilherme Kayode
    09/02/2020 @ 09:36

    Belas palavras e excelente observação ^”Carlos Machado. “

    Reply

  17. Avatar Ssergio Orlando Guimaraes
    10/02/2020 @ 11:41

    Bela colocação meu caro Carlos Machado!

    Reply

  18. Avatar Émerson
    10/02/2020 @ 19:13

    Bom vamos começar sobre escravidão
    A escravidão não acabou pelo contrário ela cresce em uma mentalidade racista que vem crescendo nos últimos anos, Porto Alegre e a onde esta a maior celula neonazistas do pais os Estados do Sul segue seu crescimento, nos USA o país foi fundado pela mão de obra negra escrava e mesmo assim são pessoas a margem da sociedade podemos ver isto Claro na própria Industria cinematográfica onde na entrega do Oscar diversos atores se referem a isto mas acredito que o mal está em uma forma separatista criada pelo homem branco que se chama raça e cor …o indivíduo e da raça negra,branca, amarela eu acho que deveria ser aquilo que todos somos .
    Ser humano do sexo másculino ou feminino sua cor é inrelirrelevante pois o seu potencial depende de Amor,Educação e oportunidade

    Reply

  19. Avatar Carlos Santos
    11/02/2020 @ 12:03

    Bom então se não foi Jasper Newton Daniel que destilou o primeiro Jack Daniels a 150 anos atrás, e sim Nearis Green, com certeza a familia Daniel deve uma indenização bilionária para a familia Green nos dias atuais, porém conhecedor da ética empresarial americana e estratégia de marketing associadas, com certeza já devem ter feito um acordo para essa história vir a tona mais de 1,5 depois de acontecido.

    Reply

  20. Avatar leandro reale
    12/02/2020 @ 13:40

    Acho louvável os comentários,mas acho que provavelmente acontecerá o que eu vi num documentário no canal history channel: tem uma música que é bem conhecida (ela é até usada no rei Leão disney): foi criada por um negro pobrerrimo e analfabeto (acho que nao era escravo a abolicao ja tinha realizada muitos anos…)que,aproveitando disto,comprou a música e recebeu “trocados” e seus descendentes a miséria e o anonimato (e hoje está música vale bilhões ). Um pesquisador achou a Real estoria sobre esta musica ,quem a criou,sua situacao miseravel etc.. e lutou pra que seus descendentes podessem receber o que eram de direito. Resumo: demoro devido a empecilhos burocráticos ,mas venceu e passou os direitos e ressarcimento a eles,POREM,até hoje a Family diz que nem vê o chero do dinheiro(continuam miseráveis na pior parte da África pós apartheid) pq criaram um órgão pra administrar estes valores e estes alegam que entregaram o dinheiro a eles…. e continuam pobres e miseraveis com a ciencia de um antepassado famoso….agora quem nao acha que tb nao facam a mesma coisa com este?

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *