Campanha Pode Ser Abuso, da Fundação Abrinq, conscientiza para combater violência sexual infantil

Compartilhar

A campanha da Fundação Abrinq conscientiza sobre situações cotidianas que caracterizam violação e abuso.

Funfação Abrinq
Foto: Divulgação

 

Por Redação

No próximo dia 18 de maio ocorre o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças, A Fundação Abrinq esta? promovendo mais uma edição da campanha Pode Ser Abuso, com o objetivo de alertar a população sobre a importância de combater a violência sexual contra crianças e adolescentes e incentivar a denúncia.

Dados alarmantes apontam que, todos os dias, mais de 55 crianças e adolescentes são vítimas de algum tipo de violência sexual no Brasil. De acordo com os números oficiais, infelizmente subnotificados, foram 20.251 casos de violência sexual no ano de 2021. A vítima é, na maioria das vezes, do sexo feminino, sendo 87,7% do total, com faixa etária entre 10 e 19 anos.

A campanha Pode ser Abuso oferece diversas abordagens sobre o tema, incluindo as formas em que a violência sexual pode ocorrer, os sinais que crianças e adolescentes apresentam quando sofrem violência e os canais e formas de denúncia. Também estão disponíveis no site materiais para quem quer aderir e ajudar a divulgar o tema, bem como o e-book Chega de Violência: manual sobre como proteger as crianças e os adolescentes da violência sexual.

Neste ano, a campanha tem foco na conscientização em relação a situações cotidianas que deveriam ser comuns para crianças e adolescentes, porém, acabam se transformando em casos de violação e abuso.

Desde 2018, a campanha Pode Ser Abuso mobiliza a sociedade para a importância de prevenir e denunciar a violência sexual infantil. Somente por meio da denúncia será possível interromper a violação, proteger as crianças e os adolescentes e garantir uma plena assistência médica e psicológica às vítimas.

Alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, a campanha contribui para alcançar o ODS 10, que diz respeito à redução das desigualdades.


Compartilhar