Capital paulista tem 68 casos de Covid-19 em crianças com até 10 anos

Compartilhar

Até agora, a cidade de São Paulo tem 68 casos confirmados de Covid-19 em crianças menores de 10 anos; casos suspeitos nessa faixa etária chegam a 2.300

Foto: Agência Brasil

A cidade de São Paulo está sofrendo com a pandemia de Covid-19. Dados divulgados pela Prefeitura de São Paulo mostram que até 21 de abril a cidade registrou 11.265 casos confirmados da doença e 44.003 suspeitos.

A mortalidade também está aumentando. Já foram confirmados 896 óbitos causados pela Covid-19 e há 1.441 casos suspeitos, que aguardam confirmação do teste.

De acordo com a prefeitura, do total de testes enviados desde o início da pandemia para análise ao Instituto Adolfo Lutz, o principal laboratório público de análises da Covid-19, somente 32% tiveram seu resultado liberado, e desses, 16% deram positivo. Ou seja, há atualmente cerca de 15.000 testes aguardando alguma etapa final para liberação do resultado.

Tanto nos casos suspeitos quanto nos confirmados, as mulheres de 30 a 39 anos são a maioria, seguidas pelas de 40 a 49 anos. Outro dado que chama atenção é que existem 68 casos confirmados de Covid-19 em crianças menores de 10 anos na cidade de São Paulo. São 32 meninos e 36 meninas que testaram positivo para o novo coronavírus. Casos suspeitos em crianças menores de 10 anos eram 2.300 até 17 de abril, quando foi divulgado o último Boletim epidemiológico COVID-19 Cidade de São Paulo (vide tabela abaixo).


O HMCamp do Pacaembu está com 81 leitos ocupados, sendo que todos os pacientes estão em leitos de baixa complexidade.

O HMCamp do Anhembi está com 159 pacientes internados. Desses, 152 estão em leitos de enfermaria e sete  na Sala de Estabilização.

A Prefeitura ressalta que os dois Hospitais de Campanha são portas fechadas, ou seja, as pessoas com sintomas não devem procurar atendimento direto no local. Os pacientes com COVID-19 chegarão, exclusivamente, transferidos por ambulâncias de outras unidades. As internações são controladas pela regulação da Secretaria Municipal da Saúde.

Fontes: El País Brasil e Prefeitura de São Paulo


Compartilhar