Em 10 anos, taxa de suicídio de brasileiros cresce 16,8%

Compartilhar

Entre 2007 e 2016 foram registrados no Brasil 106.374 casos de suicídio

Por: Mariana Lima

Em 2016, 11.433 pessoas tiraram a própria vida no Brasil. No ano anterior, haviam sido 11.178. Os dados são do Ministério da Saúde.

Entre 2007 e 2016 foram registados no Brasil 106.374 casos de suicídio. Deste total, 60% foram por enforcamento e 18% por intoxicação exógena (intoxicação por substâncias químicas que prejudicam o organismo).

Mesmo sendo a segunda causa de óbitos por suicídio no país, a intoxicação exógena é o principal meio utilizado nas tentativas de suicídio, aparecendo em 57,6% dos casos registrados.

Durante o período avaliado pelo levantamento, dos 470.913 casos de intoxicação notificados, 220.045 correspondiam a tentativas de suicídio. A população feminina representa 70% destes casos (153.745).

Outro dado que chama a atenção é que a taxa de mortalidade por suicídio cresceu 16,8% entre 2007 e 2016, no Brasil. Em 2016, foram 5,8 suicídios para cada 100 mil habitantes. Em 2007, eram 4,9 para cada 100 mil. O aumento foi puxado pelo número de suicídios masculinos, que cresceu 28% no período.

O suicídio já é a 4ª maior causa de morte entre os brasileiros de 15 a 29 anos, sendo a 3ª maior causa entre homens nessa faixa etária e a 8ª entre as mulheres.

Quando é feita uma avaliação por raça/ cor, a população indígena mostra-se a mais vulnerável ao suicídio no país: enquanto 9,5 homens brancos em cada 100 mil cometem suicídio, 23,1 homens indígenas fazem o mesmo. E 44,8% dos casos de suicídio entre indígenas ocorrem na faixa dos 10 aos 19 anos. Apesar disso, o relatório do Ministério da Saúde apontou uma diminuição de 10,2% dos óbitos por suicídio entre os indígenas.

Vale ressaltar que o suicídio costuma ser resultado de alguma pertubação psicológica/mental não tratada, como a depressão, a bipolaridade ou o abuso de drogas e álcool.

Como prevenir?

De acordo com o Mistério da Saúde, há alguns sinais que permitem perceber quando uma pessoa está passando por uma crise suicida. São eles:

  1. O aparecimento ou agravamento de problemas de conduta ou de manifestações verbais durante pelo menos duas semanas.
  2. Preocupação com sua própria morte ou falta de esperança.
  3. Expressão de ideias ou de intenções suicidas, como “Eu queria poder dormir e nunca mais acordar”.
  4. Isolamento.
  5. Outros fatores, como perda de emprego, agressões físicas e psicológicas, discriminação por gênero/ sexualidade ou cor, depressão e/ou ansiedade.

Esses fatores não funcionam como uma listinha “mágica”. Cada pessoa é um caso, e os sinais podem aparecer em maior ou menor grau.

Ações do Ministério da Saúde

A Organização Mundial da Saúde (OMS) tem como meta diminuir em 10% o número de óbitos por suicídio até 2020, e para alcançar a meta o Ministério da Saúde lançou em 2018 uma agenda estratégica de prevenção.

Entre as ações promovidas está a ampliação da gratuidade nas ligações para o 188, telefone do CVV (Centro de Valorização da Vida).


Compartilhar