O futuro das mídias alternativas

O futuro das mídias alternativas
O Olhar da Cidadania

 
 
00:00 / 52 MB
 
1X
 

Segundo o levantamento Media Ownership Monitor Brasil (MOM-Brasil), produzido pelo Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social, em parceria com os Repórteres Sem Fronteiras, o sistema de mídia brasileiro apresenta alta concentração de audiência e de propriedade, alta concentração geográfica, falta de transparência, além de interferências econômicas, políticas e religiosas.

O MOM-Brasil mapeou 50 veículos ou redes de comunicação pertencentes a 26 grupos no Brasil, em quatro segmentos: TV, rádio, impresso e online. A propriedade da mídia brasileira fica em predominância com os grupos  Globo, Bandeirantes, a família Macedo, e com o grupo de escala regional RBS, somando juntos 23 meios de comunicação.

Segundo a pesquisa, a concentração de audiência no Brasil é gravíssima, principalmente em relação à mídia mais consumida no país: a televisão. Esse meio ultrapassa 70% da audiência nacional concentrada nos 4 principais proprietários. O dado é alarmante quando considerada a dimensão do território brasileiro e a diversidade regional que apresenta.

Neste cenário, veículos independentes atuam na produção de um jornalismo plural e democrático. Mas, em tempos de pós-verdade, para onde as mídias alternativas devem caminhar?

Para falar sobre o futuro das mídias alternativas brasileiras, no Olhar da Cidadania do dia 04 de setembro, recebemos Ricardo Abramovay , professor sênior do programa de Ciência Ambiental do Instituto de Energia e Ambiente da USP, e autor do livro ‘Amazônia: por uma economia do conhecimento da natureza’ (ed. Terceira Via); e Maria Teresa Cruz, repórter e editora da Ponte Jornalismo, que já atuou como educadora na Escola de Notícias, projeto social no Campo Limpo, zona sul de São Paulo.

Entre os assuntos abordados estão: a mídia alternativa no Brasil; relação entre os ataques a ativistas com as mídias alternativas; disputa de narrativas; crimes de ódio; cobertura jornalística realizada pelo Intercept; importância das parcerias; vocação da mídia alternativa; como inserir a mídia alternativa em um ambiente contaminado pelas fake news; marco civil da internet; e o futuro da imprensa independente no país.

O programa também contou com a participação dos colunistas Christian Dunker, psicanalista e professor titular da USP, que falou sobre a culpabilização da pobreza no Brasil, e os princípios morais por trás deste ato; e Marcos Perez, professor da Faculdade de Direito da USP, que falou sobre o abuso de poder em sociedades democráticas, que atinge desde as camadas mais baixas até os representantes políticos.

O programa foi apresentado pelo jornalista Joel Scala.

Olhar da Cidadania na Rádio USP

Todas as quartas-feiras, às 17h

Reprise todas as sextas-feiras, às 2h30

São Paulo: 93,7 FM

Ribeirão Preto: 107,9 FM