Decisivos? Quase 30 milhões de eleitores no Brasil decidiram não votar

Compartilhar

No domingo (07/10), quase 30 milhões de eleitores aptos para votar escolheram ficar longe das urnas. Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O nível de abstenção, de 20,3%, é o mais alto desde as eleições de 1998, quando 21,5% do eleitorado não votou.

A abstenção tem crescido desde 2006. Na ocasião, 16,8% dos eleitores não votaram. Quatro anos depois, o índice subiu para 18,1%, e chegou aos 19,4% nas eleições presidenciais passadas, em 2014.

Mato Grosso foi o estado com o maior índice de abstenção, com 24,6%. Isso significa que 1 em cada 4 eleitores aptos a votar não votaram. Em São Paulo, o maior colégio eleitoral do país, o índice de abstenção também subiu. Foram dois pontos percentuais, em relação ao último pleito, passando de 19,5% para 21,5%. Em número de eleitores, isso representa mais de 850 mil pessoas, de 6,2 milhões em 2014 para 7,1 milhões este ano.

Os candidatos que participam do segundo turno das eleições deste ano, estão de olho nestas pessoas. Agora o objetivo é convencer essas pessoas para terem um motivo para ir às urnas no próximo dia 28/10.


Compartilhar