Organizações lançam pesquisa sobre violência contra crianças no Brasil

Compartilhar

Elaborado pela Vital Strategies, com base em dados levantados pelo Instituto Galo da Manhã e Fundação José Luiz Egydio Setúbal, o estudo analisa dados sobre violência e o comportamento dos brasileiros em relação a como as crianças são tratadas por seus responsáveis

tratamento dado às crianças
Foto: Adobe Stock

Da Redação

O relatório “Atitudes e percepções sobre a infância e violência contra crianças e adolescentes no Brasil” foi lançado na última terça-feira (31/10), durante um simpósio na Câmara dos Deputados, em Brasília. Desenvolvido pela Vital Strategies, o levantamento analisa o comportamento dos brasileiros diante do tratamento dado às crianças por adultos, observando os limites entre educação e violência.

O material conta com dados da Pesquisa Nacional Sobre Maus-Tratos e Violência Contra Crianças e Adolescentes, realizada pelo Instituto Galo da Manhã e Fundação José Luiz Egydio Setúbal (FJLES), com apoio da Ipsos. Para Sofia Reinach, gerente da área de Prevenção de Violências da Vital Strategies, o relatório aponta práticas consideradas educativas que, na verdade, são violentas, o que mostra a importância da conscientização sobre o tratamento dado às crianças.

O estudo mostra que a prática de violência contra crianças e adolescentes ultrapassa gerações e é tratada, culturalmente, como um assunto de família que não deve sofrer interferências externas. É urgente o fortalecimento dos serviços de atendimento às vítimas e de suporte às famílias, além da ampliação das ações de conscientização e engajamento da população com relação ao enfrentamento desse grave problema.”

Estiveram presentes na ocasião o secretário executivo da Coalizão Brasileira pelo Fim da Violência contra Crianças e Adolescentes, Lucas José Ramos Lopes, o diretor executivo da Vital Strategies Brasil Pedro de Paula, a assessora da FJLES Márcia Woods, a Deputada Federal Ana Paula Lima, entre outras autoridades e defensores da causa.

No mesmo período de divulgação do relatório, tramita no Congresso Nacional o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), e a Coalizão Brasileira pelo Fim da Violência contra Crianças e Adolescentes está trabalhando ativamente para fortalecer os investimentos públicos na prevenção e combate à violência infanto-juvenil. O movimento é formado por 68 organizações da sociedade civil, cofinanciado pela FJLES, e está alinhado ao ODS 16 da Agenda 2030 da ONU que diz respeito ao combate à violência.


Compartilhar