Conservadorismo e as questões sociais no Brasil

Conservadorismo e as questões sociais no Brasil
O Olhar da Cidadania

 
 
00:00 / 53:33
 
1X
 

A pesquisa ‘Conservadorismo e questões sociais’, realizada pela Fundação Tide Setubal, fez uma análise aprofundada do conservadorismo no Brasil e da sua relação com as questões sociais.

Para fazer essa análise, o estudo partiu dos dados numéricos do Índice de Conservadorismo do IBOPE, realizado em 2016. O índice classificou os brasileiros em três faixas de conservadorismo e mostrou que apenas 5% dos brasileiros têm baixo índice de conservadorismo. Enquanto isso, 41% dos brasileiros são conservadores médios e 54% são conservadores máximos/ radicais.

O estudo do IBOPE avaliou o conservadorismo do brasileiro em relação a cinco pautas polêmicas: legalização do aborto, casamento entre pessoas do mesmo sexo, pena de morte, prisão perpétua e redução da maioridade penal.

A pesquisa da Fundação Tide Setubal tentou entender os valores que estão por trás de um maior ou menor grau de conservadorismo e revelou que, para os conservadores brasileiros, há uma generalizada valorização do passado, um sentimento de desamparo devido ao desemprego e ao medo da violência, e que as redes sociais são o principal meio de sociabilidade.

Para falar sobre o conservadorismo brasileiro e suas relações com a sociedade, no Olhar da Cidadania do dia 17 de julho, recebemos Camila Rocha, cientista social, mestra e doutora em ciência política pela Universidade de São Paulo, porta-voz da Fundação Tide Setubal e coordenadora da área de ciências sociais da rede de pesquisa ‘Direitas, História e Memória’, além de integrante do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para o Estudo sobre os Estados Unidos; e Silvio Caccia Bava, sociólogo, diretor e editor-chefe do jornal Le Monde Diplomatique Brasil e colunista do Observatório do Terceiro Setor.

Entre os assuntos abordados estão: qual a relação entre os conservadores e a eleição do atual presidente Jair Bolsonaro, diferenças entre conservadorismo e a ultradireita, crescimento das igrejas evangélicas e quem é a nova direita brasileira.

O programa também contou com a participação dos colunistas Christian Dunker, psicanalista e professor titular da USP, que falou sobre o mal-estar na sociedade e a relação com o outro; e Marcos Perez, professor da Faculdade de Direito da USP, que falou sobre os vazamentos de mensagens por parte da imprensa brasileira e as questões éticas presentes nesse tipo de reportagem.

O programa foi apresentado pelo jornalista Joel Scala.

Olhar da Cidadania na Rádio USP

Todas as quartas-feiras, às 17h

Reprise todas as sextas-feiras, às 2h30

São Paulo: 93,7 FM

Ribeirão Preto: 107,9 FM